Não se reprima, não se reprima! Uooo Uooo









domingo, 31 de julho de 2011

Medo

Como pode existir uma doença dessa? Sem pé, sem cabeça? Sem explicação, sem solução....como?
É absurdo o que ela faz, o poder que ela tem, a tristeza e desepero que ela traz...
Eu tenho certeza absoluta que todas as pessoas que realmente conhecem meu pai sabem a pessoa maravilhosa, excepcional e incrível que ele é. Dá pra ver quantas pessoas gostam, se importam com ele; quantas pessoas sentem muito pelo o que está acontecendo com ele.
Eu estou aprendendo muito com ela, e percebendo o quanto eu era mesquinha, egoísta, reclamona...o tanto que ligava pra coisas sem importância nenhuma, e agora tudo faz sentido, tudo fica mais claro.
Nem sei dizer o que sinto, mas acho que o predomina é o medo. Eu não sei o que fazer, pensar e como agir. Tenho até medo de dizer um "eu te amo", até mesmo porque não tenho esse costume, e pode parecer uma despedida, uma coisa que precisa ser dita antes que seja muito tarde....mas é o que mais tenho vontade de dizer.
O quanto o amo, me importo e o quanto agradeço por tudo que ele fez e continua fazendo.
Eu acredito em tudo: em Deus, em milagres, em cura, em soluções, sempre tenho fé e esperança. A única coisa que eu não acredito, é que isso está acontecendo com ele...
Hoje foi um dos dias que me peguei pensando nisso e decidi escrever, é isso...

3 comentários:

Anna. disse...

dizer eu te amo, não vai ser despedida, vai ser motivação, recomeço de uma história em que outras coisas são prioridades! digaaaaaaaa

L. disse...

Eu também não consigo dizer eu te amo, também não tenho esse costume. Mas sinto por não conseguir, gostaria que fosse diferente. Não deixe essa oportunidade passar.
E continue tendo fé sempre.

L. disse...

brog 'novo', mig: unindoaspontas.blogspot.com
;*